Arquivo da tag: Tatiana Belinky

Como saber se esse livro é bom ou não para o meu filho?

Nada como começar o ano jogando fora papéis, contas e anotações que perderam o sentido. Queria encontrar mais espaço. Acabei encontrando também meus velhos amigos da faculdade: pilhas e pilhas de apostilas e xerox de textos já amarelados, mas ainda preciosos. Tatiana Belinky estava lá. Lúcida e simples, como sempre, respondendo a uma pergunta que deve passar pela cabeça de todos os pais: O que é a boa literatura infantil? Como saber se este livro é bom ou não? Resumo aqui para vocês a opinião da Tatiana Belinky, escritora consagrada por seus mais de 250 livros infantis e conhecida pela adaptação televisiva de Sítio do Picapau Amarelo.

Tatiana Belinky: Alguém que soube definir o livro bom para criança, em poucas palavras, foi uma neta minha, aos oito anos de idade, que me disse um dia:

– Sabe, Tati, livro que não dá pra rir, não dá pra chorar, não dá pra ter medo, não tem graça.

O que eu acho sobre isso hoje? A boa literatura infantil faz com que a criança more no livro, como queria o nosso grande mestre Monteiro Lobato, que soube como ninguém atingir esse resultado. Para isso, o livro precisa de dois elementos gêmeos: o primeiro, que a criança goste dele. E o segundo é que eu (isto é, quem coloca os livros nas mãos da criança) também goste dele. O livro não pode ser só interessante, mas tem que trazer algo de enriquecedor, que acrescente, que ajude a criança a abrir os olhos, os ouvidos, a sensibilidade – em suma, a cabecinha. E atenção! Sem moralismo nem didatismo, sem “dedo em riste”, sem a famigerada “moral da história” (que, por sinal, quando criança, abominava e achava um desaforo).

 

Imagem

 

Ano novo, antigos achados! Espero que eles sempre se renovem.

Este texto pode ser encontrado no livro O que é qualidade em literatura infantil e juvenil? Com a palavra o escritor, organizado por Ieda de Oliveira e editado pela DCL.

Etiquetado , , , , , , ,

Tatiana Belinky responde

Comece por não mandar. Livro não é castigo, não é tarefa, não é chateação. Tem de ser curtição, prazer, tem de ser passatempo, tem de ser interessante. Existe muita coisa boa! 

Tatiana Belinky, em entrevista à Revista Crescer

Etiquetado , , ,

Livros que falam sobre o que a gente não quer falar

Há duas semanas, Giba Pedroza, contador de histórias mestre em me deixar emocionada, nos presenteou com indicações de livros que falam por nós. Uma boa conversa sempre resolve, mas quando está muito difícil falar, estes livros podem ajudar.

MORTE

O segredo é não ter medo, Tatiana Belinky

Imagem

 

A menina, a vaca e o avô, Luiz Pimentel

Imagem

 

Feminilidade, relação entre gêneros, meninos versus meninas

Por que meninos têm pés grandes e meninas têm pés pequenos, Sandra Branco

Imagem

 

Crianças gordinhas

A charada do gorducho, Tatiana Belinky

Imagem

 

Liberdade, relação com animais, ausência familiar

O menino e a rolinha, Jorge Fernando dos Santos

Imagem

 

Medo, sofrer por antecipação

Admirável ovo novo, Paulo Venturelli

Imagem

Lembrei de mais um! Quando a avó vai embora e a criança fica sem saber o que fazer, Menina Nina (do Ziraldo) pode ser uma boa companhia.

Imagem

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , ,